Diante de tantos tipos de rodapé, você pode até pensar que esse é um detalhe insignificante, utilizado apenas com a função de proteger a parede. Mas veja bem: escolher o modelo certo garante o acabamento ideal do ambiente.

Experimente entrar em um cômodo sem rodapé. Parece que algo está faltando, não é mesmo? E aquele rodapé que não combina em nada com o tipo de piso ou a cor da parede? É de arrepiar! Isso acontece pois a escolha do rodapé é essencial para a decoração da casa, conferindo profundidade e elegância ao espaço.

Hoje, existem rodapés nos mais diversos materiais, cores e texturas, o que permite uma ampla gama de combinações, de acordo com o estilo desejado. Inclusive, nas atuais tendências de arquitetura, você não precisa nem mesmo trocar o piso para atualizar seus rodapés. É possível fazer diferentes contrastes entre os materiais, como usar um rodapé personalizado de porcelanato em um piso de madeira.

Está interessado em saber quais são os tipos de rodapé existentes no mercado? Então, acompanhe nossa seleção dos modelos mais utilizados e conheça as aplicabilidades de cada um!

Cerâmica

Os rodapés de cerâmica são os mais utilizados no Brasil, naquela tradicional combinação com o piso do mesmo material. Apesar de ter boa durabilidade e suportar áreas secas ou úmidas, eles não apresentam nenhuma inovação em termos de decoração, dando um acabamento básico e tradicional ao seu ambiente.

Ainda assim, para quem optar por essa opção, existem modelos já prontos, em diversas cores, com chanfros, frisos ou lisos. Eles ainda podem ser cortados diretamente do piso cerâmico, em tamanhos personalizados. Para a instalação, em qualquer um dos casos, é necessário o uso de argamassa e rejunte para dar o acabamento.

Porcelanato

Se você quer sair do tradicional, procurando praticidade e elegância, uma boa opção são os rodapés de porcelanato. Graças às tecnologias desenvolvidas para esse tipo de material, hoje é possível encontrá-los em diferentes texturas, alturas e formatos, em diversas cores e até mesmo em reprodução de madeira ou pedra.

Em relação aos materiais naturais, o porcelanato oferece mais resistência, impermeabilidade e facilidade de limpeza. Em outras palavras, são perfeitos para áreas secas ou úmidas, até mesmo externas, como o espaço do churrasco. Além disso, não necessitam de manutenção e não riscam, ou seja, pode arrastar os móveis à vontade!

Uma novidade muito bacana do setor é o corte personalizado do porcelanato, semelhante ao que já se faz com os pisos cerâmicos ou de pedra. Assim, é possível combiná-lo com o piso de porcelanato escolhido ou ainda criar contrastes com outros materiais. Sua instalação, semelhante ao de cerâmica, exige um profissional da área.

Mármore

Os rodapés de mármore são mais sofisticados que os demais, o que garante um ar luxuoso ao ambiente. Mas, por ser uma pedra nobre, apresenta um custo muito alto, o que impacta no orçamento da obra.

Assim como os anteriores, eles podem ser cortados de peças maiores, para combinarem com o piso ou outras peças. Por apresentarem boa durabilidade e resistência, também são indicados para áreas secas ou úmidas, como cozinhas e banheiros.

Porém, por serem provenientes de uma material natural, suas cores podem apresentar variações entre os lotes, o que pode comprometer o acabamento. Então, fique atento!

Gesso

Os rodapés de gesso são os mais baratos e de fácil instalação. Isso acontece uma vez que eles são os mais frágeis, podendo lascar ou quebrar com facilidade. Ou seja, não utilize esse rodapé em ambientes com muito fluxo de pessoas! Também não são resistentes a ambientes úmidos, então, são recomendados apenas para salas e quartos.

Ainda assim, devido ao seu material, as opções estéticas são muitas, com diferentes acabamentos de relevos e texturas, o que agrada aos clientes mais criativos. Eles ainda podem ser pintados nas mais diversas cores.

Madeira

Os rodapés de madeira são muito tradicionais, conferem sofisticação ao ambiente e podem ser encontrados em diversas cores e formatos. Mas, não se engane, há dois tipos desse rodapé.

Os rodapés de madeira maciça são mais resistentes e mais caros. Eles podem ser encontrados em formato pronto, bastando fazer o acabamento em verniz, ou encomendados a um marceneiro. Sua manutenção exige uma limpeza regular e a aplicação de produtos próprios para madeira.

Quem escolhe esse tipo de rodapé precisa ficar atento a possíveis problemas com cupins. Apesar de serem relativamente duráveis, não são recomendados para ambientes úmidos, devido às características do material.Também não se pode arrastar móveis próximos a eles, pois riscam com facilidade.

Já os rodapés de MDF são mais baratos, porém, mais frágeis e menos duráveis, uma vez que são extremamente sensíveis à umidade. Nessa modalidade, pode-se aplicar verniz ou pintar, o que permite maior possibilidade de acabamento em relação aos maciços. Outra vantagem é já vir protegido de fábrica contra as pragas da madeira.

Poliestireno

Os rodapés de poliestireno, apesar de terem esse nome complicado, são feitos de um tipo de isopor. Ecologicamente corretos, podem ser produzidos a partir da reciclagem do próprio isopor ou outros materiais, como restos de computadores.

Esse tipo de rodapé é relativamente barato e durável, já que apresenta fácil instalação e certa resistência à umidade. Alguns modelos já apresentam pequenos vazados, o que facilita a passagem de cabos e fiação elétrica. Como são brancos, parecem prontos. Mas eles devem ser pintados para não ficarem amarelados com o tempo.

Diferentemente de outros que conferem mais sofisticação e elegância, os rodapés de MDF são ideais para quem procura um acabamento mais básico e clássico ao ambiente.

Escolhendo entre os melhores tipos de rodapé

Como você pôde acompanhar, há diversos tipos de rodapé, com diferentes custos e aplicações. Para quem busca luxo, a melhor opção são os de madeira maciça ou mármore. Para quem procura preço baixo e acabamentos mais básicos, boas opções são os de cerâmica, madeira MDF, gesso ou poliestireno. Por fim, para quem busca o melhor custo-benefício, aliado à sofisticação e à versatilidade, o campeão é o rodapé de porcelanato.

Após escolher o material, é fundamental que você saiba como fazer a melhor combinação para o seu ambiente. Em decorações clássicas, os rodapés costumam ser de cores neutras. Já em decorações mais contemporâneas, é permitido o uso de cores vibrantes.

O tamanho do ambiente também conta. Em ambientes pequenos, o ideal é utilizar rodapés da mesma cor da parede, dando uma ideia de espaço amplo. Já em ambientes maiores, com o pé direito elevado, por exemplo, os rodapés podem ser mais altos, o que deixa o cômodo mais elegante.

Pronto! Agora você já conhece os diferentes tipos de rodapé. Para alcançar resultados personalizados e com alta performance, contrate uma empresa especializada para confeccionar o seu rodapé. Essa é a garantia de que você estará fazendo as melhores opções para o seu projeto.

Este conteúdo foi útil para você? Como um rodapé de porcelanato personalizado ficaria na sua decoração? Entre em contato com a Porcelanataria e conheça nossos serviços.

Escreva um comentário

Share This